PROCESSO CRIATIVO | REDBERRIES

4 agosto 2013 at 19:10 34 comentários

Quem acompanha este blog deve saber que já publiquei aqui alguns processos criativos que adotei na elaboração de determinadas estampas. Embora estes posts sejam sempre muito trabalhosos, desde que me tornei professor tenho achado interessante a ideia de compartilhar informações relacionadas a este tema. Evidentemente, minha intenção não é propor um “modelo” a ser seguido, mas apenas apresentar etapas de um processo que, creio eu, poderá inspirar e estimular aos interessados no assunto a buscarem seus próprios métodos.

O ponto de partida para a elaboração da estampa REDBERRIES foi um exercício que desenvolvi quando fazia minha pós-graduação em 2010. A atividade consistia em construir um rapport em meio-salto por intermédio das dobraduras de um módulo em papel. Abaixo, o resultado do exercício mostrando o desenho que fiz à mão livre com grafite. Os dois traços em vermelho indicam os pontos em que os módulos adjacentes (laterais) deveriam estar alinhados no sentido vertical (base e topo) a fim de que a estampa se completasse.

redberries | wagner campelo

Na próxima imagem é possível observar como dei continuidade ao desenho, que começou a ser feito inicialmente no centro do papel, prolongando os motivos por sobre as extremidades laterais unidas na diagonal e alinhadas aos traços em vermelho.

redberries | wagner campelo

Em relação à vertical a continuidade dos motivos se deu do modo convencional, ou seja, unindo o topo e a base e prolongando o desenho sobre a junção das extremidades do papel — como pode ser visto a seguir.

redberries | wagner campelo

Particularmente, nunca usei esse método para determinar o rapport, nem mesmo no tempo em que os computadores ainda não existam e eu precisava fazer tudo à mão. O maior “problema” no caso de usar este sistema para estabelecer o rapport é que não é possível ver o restante do desenho quando se está completando os motivos nas extremidades dobradas — e isso pode causar resultados desfavoráveis, já que não se tem uma visão do todo. Voltando ao exercício, depois de ter fechado o rapport era preciso escaneá-lo e, no Photoshop, não só simular sua repetição bem como acrescentar cor ao desenho. Para facilitar o escaneamento, uma vez que eu havia feito o desenho à lápis, refiz todos os motivos usando caneta hidrocor preta sobre papel vegetal. Aproveitei para fazer pequenos ajustes em relação aos traços do desenho original.

redberries | wagner campelo

No Photoshop, usei o filtro Estampa (Stamp) para obter um “traço” limpo, livre dos indesejáveis tons de cinza que acabam surgindo no escaneamento. Deste modo é mais rápido e prático isolar os elementos e o fundo, permitindo maior liberdade em termos estéticos.

redberries | wagner campelo

Com o “traço” destacado do fundo, ajustei o rapport e acrescentei cor aos motivos. Abaixo, o resultado do exercício finalizado.

redberries | wagner campelo

Como se tratava apenas de um exercício, na época, não me preocupei muito em dar um “acabamento especial” à estampa que, para mim, já havia cumprido seu propósito. Só recentemente (em 2013), achei que poderia valer à pena retomar o desenho antigo e tentar deixá-lo mais elaborado, incrementando a padronagem a fim de que ela ficasse mais atrativa. Como eu tinha os arquivos em Photoshop, achei que poderia usá-los como base para um redesenho da estampa. Assim, imprimi em papel A4 somente os contornos do desenho destacando em preto os motivos (inteiros) que faziam parte do rapport em meio-salto — como mostrado a seguir.

redberries | wagner campelo

Com o auxílio da mesa-de-luz, usando nanquim e um pincel bem fino, refiz o desenho pintando-o sobre papel Canson.

redberries | wagner campelo

Neste caso, a qualidade da tinta não era muito importante. Assim, acabei usando um nanquim tão barato quanto “aguado”, que comprei acreditando ter feito um bom negócio. A “vantagem” é que por conta do nanquim diluído foi possível obter certas nuances nos contornos — das quais eu pretendia tirar partido mais tarde. Abaixo, detalhes do traço do desenho. Apesar de não ter extrema habilidade com pincéis, gosto do resultado irregular e fluido que as pinceladas proporcionam.

redberries | wagner campelo

Gostei tanto do resultado que, como já estava com “a mão na massa”, resolvi pintar uma nova versão, diferente da anterior, desta vez usando aquarela. No novo redesenho aboli os contornos, procurando dar ênfase às regiões correspondentes aos preenchimentos. Usei duas cores para ficar mais fácil, posteriormente, isolar os frutinhos dos ramos com folhas.

redberries | wagner campelo

Como não domino a técnica da aquarela, não tive a pretensão de explorá-la em sua plenitude. Na verdade, quis apenas aproveitar um pouco das nuances proporcionadas pelo acúmulo de tinta (cor) em alguns pontos do desenho. Aliás, usei uma concentração bem mais densa de tinta do que deveria, caso quisesse realmente uma aquarela autêntica. Também não me preocupei com a escolha das cores: usei dois tons bem distintos somente para destacar os grupos de elementos. A seguir, detalhes do redesenho “aquarelado”.

redberries | wagner campelo

Depois de escanear o primeiro redesenho, comecei a fazer algumas modificações no Photoshop. Como sempre, nesta fase inicial eu nunca sei exatamente que rumos tomarão as alterações que pretendo aplicar, e faço alguns testes para ver os resultados que vou obtendo. Quase nunca eu acerto de primeira, mas como já estou acostumado com as tentativas e erros (e também acertos, claro) não me deixo abater facilmente. Um procedimento, porém, me parece óbvio e eu sempre inicio por ele: a separação dos elementos em relação ao fundo. Como já disse, isso dá mais flexibilidade no manejo dos motivos, uma vez que eles estarão soltos da base.

redberries | wagner campelo

No caso deste redesenho, como eu pretendia explorar as nuances do “nanquim barato” não usei o filtro Estampa (Stamp) para conseguir um “traço” limpo. Depois de fazer pequenos ajustes de brilho e contraste, utilizando a ferramenta Varinha Mágica (Magic Wand), cliquei no branco do fundo tendo habilitado a opção Adjacente (Contiguous) a fim de selecionar e deletar apenas o fundo, preservando os preenchimentos (também em branco) das folhas — como pode ser visto acima.

redberries | wagner campelo

Em seguida, selecionei apenas os frutinhos e dupliquei-os numa nova camada (Ctrl C + Ctrl V). Fiz mais uma duplicata desta camada e pintei-a de vermelho sólido. Deixei reservada a camada dos frutinhos com a cor original, deletando-os da camada dos ramos para evitar que aparecessem caso eu precisasse mudar algum dos coloridos de lugar.

redberries | wagner campelo

Selecionei somente os preenchimentos em branco das folhas e também os copiei numa nova camada. Pintei-os como uma cor qualquer apenas para que tivessem destaque do fundo — como mostrado acima.

redberries | wagner campelo

A ausência de fundo no Photoshop (representada pelo quadriculado branco e cinza) sempre me incomoda bastante no momento de trabalhar. Assim, criei um fundo branco apenas para que a visualização dos elementos ficasse melhor. Aproveitei para reduzir um pouco a área dos preenchimentos das folhas, pois achei que elas poderiam ficar mais “leves” na composição. Para tanto, com a camada das folhas selecionada, cliquei em Carregar Seleção (Load Selection) > Modificar (Modify) > Contração (Contract) e reduzi as bordas em 5 pixels. Depois cliquei em Inverter (Invert) e deletei a seleção. Isso fez com que todos os preenchimentos das folhas ficassem 5 pixels mais estreitos, criando um fio (espaço) em relação aos contornos. Preciso dizer que a resolução do arquivo no qual eu estava trabalhando era de 600dpi. Como eu não sabia exatamente o que faria com a estampa optei pela resolução com o dobro da ideal para ter um desenho originalmente grande, uma vez que eu não poderia ampliá-lo depois de finalizado.

redberries | wagner campelo

Somente depois de ter os motivos separados uns dos outros e também do fundo, iniciei as alterações propriamente ditas. Comecei aplicando o Mapa de Degradê (Gradient Map) na camada dos contornos. Por conta do nanquim aguado e das nuances de preto obtidas com ele, os degradês se distribuíram irregularmente, tornando os motivos mais ricos em termos cromáticos — como visto acima.

redberries | wagner campelo

Colori a camada do fundo com uma cor escura a fim de deixar os motivos mais “luminosos” e conferir mais dramaticidade à composição. Uma cor de fundo escura quase sempre deixa a estampa mais intensa.

redberries | wagner campelo

Selecionei a camada do preenchimento das folhas, alterei sua cor para uma tonalidade mais rosada e apliquei o filtro Esponja (Sponge) para dar um aspecto “texturizado” à cor originalmente sólida.

redberries | wagner campelo

Como achei que o fundo ainda estava demasiado chapado, fiz uma duplicada do preenchimento das folhas, girei-a a 180 graus e reduzi sua opacidade para 40%, passando-a para a camada imediatamente superior ao fundo. Repeti o mesmo procedimento com a camada dos frutinhos. Esse recurso fez com que uma ilusão de profundidade fosse obtida, além de deixar o fundo menos “duro”.

redberries | wagner campelo

Acima, um detalhe do resultado final das alterações. Aproveitei a camada dos frutinhos em preto e dei alguma textura aos coloridos em vermelho sobrepondo a primeira duplicata e reduzindo sua opacidade para 10%. Por último, converti o rapport em meio-salto para linear a fim de permitir a impressão digital. Reduzi as dimensões e enviei a estampa para o Panólatras. Abaixo, a estampa impressa em microfibra.

redberries | wagner campelo

Com o outro redesenho (o bicolor), procedi de forma semelhante, mas sem o uso de tantos filtros. Basicamente, alterei as cores dos motivos, preservando as nuances do aquarelado original. Fiz algumas variantes de cor e as apliquei em produtos da Society6 — como pode ser visto abaixo.

©wagner campelo

Versão do segundo redesenho em tons de dourado (ocre) e azul-cobalto.

wagner campelo | society6

A mesma versão da estampa aplicada em capa de laptop.

©wagner campelo

Variante de cor em tons de vermelho e azul-claro.

wagner campelo | society6

A mesma versão da estampa aplicada em cartão (papelaria).

©wagner campelo

Variante em tons de turquesa e laranja.

wagner campelo | society6

A mesma versão da estampa aplicada em capa de celular.

wagner campelo | society6

A versão do primeiro redesenho aplicada em quadro com moldura.

Eu costumo dizer aos meus alunos que mesmo um exercício aparentemente simples, quando bem retrabalhado pode proporcionar atrativos resultados estéticos. Nem sempre as ideias de como reaproveitar os desenhos originais vão surgir de imediato, mas se eles forem devidamente arquivados, poderão ser resgatados e explorados de outras formas, tirando partido de novas possibilidades criativas. De certo modo, creio que o post de hoje não deixa de ser a comprovação do que vivo dizendo.

Entry filed under: design, design de superfície, estampa, estamparia, estampas, pattern, patterns, prints, processo criativo, Redberries, surface design, tecidos, textiles, wagner campelo. Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , .

TROPIC & COPACABANA | DENY DESIGNS SOCIETY6

34 Comentários Add your own

  • 1. Vanilde berghs  |  5 agosto 2013 às 3:00

    Cada vez mais fico encantada com suas criações, acho que ainda vou me atrever a fazer algo.
    Parabénsss!!

    Responder
    • 2. Wagner Campelo  |  5 agosto 2013 às 11:26

      Obrigado, Vania! Espero que você se atreva, sim, a fazer algo!
      Beijo.

      Responder
  • 3. Regina Saraiva  |  5 agosto 2013 às 9:56

    Gosto muito das suas criações, e mais ainda da sua descrição do processo de criação. Não sou da área mas fico encantada e leio tudo. Quando você descreve parece tão fácil!
    Esta ficou linda em todas as cores, parabéns!

    Responder
    • 4. Wagner Campelo  |  5 agosto 2013 às 11:31

      Obrigado pela visita e comentário, Regina.
      O mais “difícil” no caso de processos criativos — pelo menos para mim — é saber como explorar as infinitas possibilidades disponíveis.
      Geralmente o briefing ou as intenções do próprio designer acabam direcionando de algum modo as ações.
      Mas preciso admitir que nem tudo dá certo na primeira tentativa… muitas vezes é preciso não desistir no primeiro “tropeço”.

      Responder
  • 5. Úrsula  |  5 agosto 2013 às 10:49

    Maravilhoso esse post, uma verdadeira aula. Adorei todas as versões da estampa! Wagner, não sei se você já explicou em algum outro post, mas como você faz o rapport de estampas tão cheias de efeitos como essas últimas versões? Não fica complicado ajustar os encaixes? Minhas estampas corridas até o momento são de desenhos bem limpos (vetoriais, digamos assim!) pois não sei como lidar com tanto detalhe! rs

    Responder
    • 6. Wagner Campelo  |  5 agosto 2013 às 11:39

      Obrigado pelo elogio, Úrsula!
      Em relação ao rapport de estampas mais complexas e cheias de motivos, bem isso varia conforme o caso.
      Nas estampas do post em questão usei um artifício que costumo adotar quando a estampa permite. A “trama de fundo” da estampa REDBERRIES é exatamente ela mesma girada a 180 graus. Como o rapport já estava estabelecido originalmente eu o dupliquei, passai para trás das camadas superiores, diminuí sua opacidade e apliquei a rotação de 180°. Assim, tudo continuou se encaixando, só que em outro sentido.
      Mas há casos de estampas em que temos de elaborar pelo menos 2 rapports: o dos motivos (camada superior) e o da trama de fundo (camada inferior), mas isso não é muito complicado se você pensar nas duas camadas como estampas distintas que foram sobrepostas no final.

      Responder
      • 7. Úrsula  |  5 agosto 2013 às 15:15

        Entendi, Wagner, obrigada pela dica! Mas quando você usa texturas, como por exemplo, quando alterou o mapa de gradientes ou aplicou o filtro esponja na cor magenta, isso não complica na hora do rapport? Ou fica imperceptível por serem detalhes muito pequenos?

        Responder
        • 8. Wagner Campelo  |  5 agosto 2013 às 16:34

          Bem lembrado, Úrsula. No caso do Mapa de Degradês, ele foi aplicado nos motivos ainda inteiros e isso não causa problemas na hora de fechar o rapport, pois a continuidade se mantém.
          Já no caso do filtro Esponja, precisei fazer pequenos ajustes (com o carimbo) a fim de que a continuidade ficasse perfeita.
          Dependendo dos motivos nos quais os filtros foram aplicados, os ajustes poderão ser pontuais e de fácil resolução.
          Abraço.

          Responder
          • 9. Úrsula  |  5 agosto 2013 às 18:50

            Não pensei no fato do efeito ter sido aplicado antes do rapport, rs! Acho que o encaixe me preocupra muito na hora da criação, pode até ser um fator limitador, né? Vou considerar suas dicas a partir de agora, quem sabe eu perco o medo de estampas mais complexas!😀

          • 10. Wagner Campelo  |  6 agosto 2013 às 17:55

            Realmente, Úrsula, a questão do encaixe pode comprometer o resultado de uma estampa quando ele costuma ser considerado antes do desenho.
            Mas isso pode ser relativo, dependendo da estampa e/ou do designer. Creio que é importante saber de antemão o sistema de repetição que será explorado, mas isso não deve “prejudicar” a criatividade ou o resultado do desenho.
            O ideal é que haja sempre um “diálogo” entre motivos e sistema de repetição: um sempre valorizando o outro.

  • 11. Erica Bruno  |  5 agosto 2013 às 13:30

    Maravilhosa estampa!!! Particularmente eu adorei estampas feita
    à mão é mais fluido e tem muito mais calor.

    Responder
  • 13. Tatiana Stanzani  |  5 agosto 2013 às 14:57

    Oi Wagner,
    amo estamparia e sou fã do seu trabalho! Amei a estampa e principalmente a ideia de refazer um desenho que vc fez há mais tempo. Tenho uma estampa criada pelo mesmo método para o curso de estamparia que fiz na PUC, mas nao gostei muito do resultado… Vou redesenhar! Provavelmente o resultado vai sair bem melhor. Espero! rsrsrs Muito obrigada pela publicação de grande ajuda e inspiração! Abs, Tati Stanzani

    Responder
    • 14. Wagner Campelo  |  5 agosto 2013 às 16:29

      Obrigado pelo elogio, Tatiana.
      Espero que você obtenha um ótimo resultado com o redesenho da sua estampa!
      Abraço.

      Responder
  • 15. angela valle  |  5 agosto 2013 às 18:29

    Wagner
    Vc como sempre arrasando nos seus post e dando dicas IMPORTANTÍSSIMAS para todos que querem aprender. Gostaria de fazer um comentário a respeito da criação do meio salto. Trabalhoso não, esta criação de meio salto montada no papel???? Quando fiz o curso no CETIQT, tínhamos como base o Tex Design para montar as estampas. Considero o mais completo programa para montagem de estampas que já vi. Pena que o Cetiqt tenha excluído este programa de seu curso de estamparia. Penso que por ser de alto custo e por ser, na verdade, praticamente inviável adquirirmos o programa.
    Não temos nos falado, mas acompanho sempre o seu trabalho maravilhoso. Abçs. Angela Valle

    Responder
    • 16. Wagner Campelo  |  6 agosto 2013 às 17:51

      Obrigado pela visita e elogio, Angela.
      Na verdade, essa “construção” do rapport em meio-salto no papel servia mais como exercício mesmo.
      Na minha opinião, não faz sentido, hoje em dia, usar este artifício na estamparia convencional quando tudo pode ser feito nos programas de computador (Photoshop, Corel e Illustrator).
      Em todo caso, conhecer a “técnica” pode ser interessante para quem nunca viu o sistema, ou então para quem faz estamparia manual.
      Abraço.

      Responder
  • 17. katiabonfadini  |  5 agosto 2013 às 19:05

    Waguito, vc sabe que sou sua f e adoro tudo o que faz, mas esse post est demais! Que mximo esse passo a passo e os resultados! Nossa, que processo legal! Amei as variaes, principalmente aquela com tons de vermelho e verde no final. Arrasou!!!!!!!!!!!

    Beijos!

    *Katia Bonfadini* * * Designer & Ilustradora

    Portiflio: http://www.coroflot.com/katiabonfadini Blog: http://www.casosecoisasdabonfa.blogspot.com Loja: http://www.coisasdabonfa.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/casosecoisasdabonfa Instagram: http://instagram.com/katiabonfadini

    Responder
    • 18. Wagner Campelo  |  6 agosto 2013 às 17:56

      Que bom que gostou, Bonfinha!
      Obrigado pela visita e comentário!

      Responder
  • 19. Michelle  |  8 agosto 2013 às 10:22

    Nossa, Wagner! Que processo fantástico… o seu cérebro é uma jóia infinita de inspiração. Meu sonho? Fazer um curso com você, mas um dia esse momento chega. Um grande abraço e sucesso sempre. Michelle.

    Responder
    • 20. Wagner Campelo  |  8 agosto 2013 às 19:02

      Muito obrigado pela visita e elogia, Michelle.
      Espero que o seu sonho não demore a se concretizar!
      Abraço.

      Responder
  • 21. John Hopper  |  9 agosto 2013 às 6:10

    Excellent run through of the creative process, from initial sketch to finished design

    Responder
  • 23. sorelladesign  |  15 agosto 2013 às 12:18

    Wagner, adoro seu trabalho e essas estampas ficaram espetaculares. Os cursos de processo criativo que vc dá em SP são dados aqui no Rio tb? Abraços Cliva

    Responder
    • 24. Wagner Campelo  |  16 agosto 2013 às 14:46

      Obrigado pelo elogio, Cliva.
      No primeiro semestre deste ano ministrei aqui no Rio — no SENAI-CETIQT da Barra — um curso sobre técnicas para criação de estampas (Estampas Vegetais).
      Neste segundo semestre não terei tempo de ministrar cursos de extensão aqui no Rio.
      Abraço,
      Wagner.

      Responder
      • 25. sorelladesign  |  16 agosto 2013 às 20:43

        Que pena…Quando tiver me avisa. Beijinhos

        Responder
        • 26. Wagner Campelo  |  18 agosto 2013 às 9:37

          Eu sempre divulgo os cursos aqui no blog e também no Facebook.

          Responder
  • 27. Cynthia Ázara  |  12 setembro 2013 às 21:32

    Maravilhoso!!! Uma super aula!!!

    Responder
    • 28. Wagner Campelo  |  13 setembro 2013 às 8:53

      Obrigado, Cynthia. Fico contente que tenha achado útil!

      Responder
  • 29. cattia capistrano  |  18 setembro 2013 às 10:48

    Show !!!! Parabéns pelo trabalho e a aula muito boa . Abs

    Responder
  • 31. Sânzia Ribeiro  |  22 setembro 2013 às 13:16

    Olá Wagner,estou encantadíssima com este desenvolvimento do projeto!! pois estou em uma fase decidida a ser uma design textil ,dai a duvida! qual curso devo ingressar? design de moda,interiores… ajude-me ! sonho em um dia ser como vc..rsss
    grata
    poapaninhos @ hotmail.com
    aguardo
    Sânzia Ribeiro

    Responder
    • 32. Wagner Campelo  |  23 setembro 2013 às 18:42

      Olá, Sânzia

      Antes de qualquer curso voltado especificamente para design de estampas é fundamental dominar programas como Corel Draw ou Illustrator e Photoshop.
      Se já dominar estes programas, sugiro que faça um curso de especialização (pós-graduação em Design de Estampas), se já for graduada, evidentemente.
      Dependendo da cidade em que você mora, sugiro que busque cursos livres (ou de extensão sobre o tema).
      Se ainda não for graduada, poderá cursar uma faculdade com ênfase em Design de Superfície, ou, se gostar de moda, seguir um curso de Designer de Moda.
      Espero ter ajudado de algum modo.

      Abraço.

      Responder
  • 33. Thiago Gavioli  |  17 outubro 2013 às 19:57

    Oi, curti muito os posts de estampa, gostei de suas estampas são bonitas. Eu me formei em moda e gostaria muito de fazer uma pós nesta área.
    Veja se gosta das minhas no meu portfólio:
    http://www.behance.net/thiagogavioli

    Responder
    • 34. Wagner Campelo  |  18 outubro 2013 às 18:29

      Oi, Thiago
      Obrigado pelo elogio. Eu só conheço cursos de pós-graduação em estamparia aqui no Rio, em Porto Alegre e Santa Maria (RS).
      Assim que eu tiver um tempo visitarei seu portfolio.
      Abraço.

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Padronagens & Afins

Sobre mim

Follow padronagens & afins on WordPress.com

Meu Instagram

Textura vegetal: frutos de palmeira.
Vegetal texture : palm tree fruits.
.
#padronagem #pattern #textura #texture #vegetal #palmeira #palmtree #frutos #fruits #inspiração #inspiration #wagnercampelo Textura vegetal: folha de palmeira.
Vegetal texture : palm tree leaf.
.
#padronagem #pattern #textura #texture #vegetal #palmeira #palmtree #folha #leaf #inspiração #inspiration #wagnercampelo Textura vegetal: flores de palmeira.
Vegetal texture : palm tree flowers.
.
#padronagem #pattern #textura #texture #vegetal #palmeira #palmtree #flores #flowers #caryota #inspiração #inspiration #wagnercampelo Azulejos brasileiros. Fabricação Itaipava, Rio de Janeiro. Década de 70 e 80.
Galeria Rio Scenarium.
Brazilian tiles. Manufacture Itaipava, Rio. The 70s and 80s.
.
#azulejo #azulejos #braziliantiles #azulejosbrasileiros #tiles #walltiles #ceramica #ceramics #designdesuperficie #surfacepattern #surfacedesign #inspiração #inspiration #rioscenarium #galeriarioscenarium #wagnercampelo Azulejos Cavalinho do Porto. Cerca de 1890. Porto, Portugal.
Cavalinho do Porto tiles. Around 1890. City of Porto, Portugal.
Galeria Rio Scenarium.
.
#azulejo #azulejos #portuguesetiles #azulejosportugues #porto #oporto #tiles #walltiles #ceramica #ceramics #designdesuperficie #surfacepattern #surfacedesign #inspiração #inspiration #rioscenarium #galeriarioscenarium #wagnercampelo Azulejos brasileiros. Fabricação IRFM (Indústrias Reunidas Fábricas Matarazzo). Cerca de 1950.
Galeria Rio Scenarium.
Brazilian tiles. Manufacture IRFM. Around 1950.
.
#azulejo #azulejos #braziliantiles #azulejosbrasileiros #tiles #walltiles #ceramica #ceramics #designdesuperficie #surfacepattern #surfacedesign #inspiração #inspiration #rioscenarium #galeriarioscenarium #wagnercampelo Estampa da coleção de estreia da @mamedioswim desenvolvida pela @stampastudio.rio
Print from the @mamedioswim
debut collection created by @stampastudio.rio.
.
#estampa #padronagem #print #pattern #printandpattern #designdeestampas #designdesuperficie #surfacepattern #surfacedesign #modapraia #beachwear #swimwear #stampario #wagnercampelo #mamedioswim #arrivingsoon #newcollection #debut #hotpants #elegantlysexy #followthesun #mamediomermaid #sexy #luxury #elegant #fashion #exclusiveprint #unique #limitededition Estampa da coleção de estreia da @mamedioswim desenvolvida pela @stampastudio.rio
Print from the @mamedioswim
debut collection created by @stampastudio.rio.
.
#estampa #padronagem #print #pattern #printandpattern #designdeestampas #designdesuperficie #surfacepattern #surfacedesign #modapraia #beachwear #swimwear #stampario #wagnercampelo #mamedioswim #arrivingsoon #newcollection #debut #hotpants #elegantlysexy #followthesun #mamediomermaid #sexy #luxury #elegant #fashion #exclusiveprint #unique #limitededition Estampa da coleção de estreia da @mamedioswim desenvolvida pela @stampastudio.rio
Print from the @mamedioswim
debut collection created by @stampastudio.rio.
.
#estampa #padronagem #print #pattern #printandpattern #designdeestampas #designdesuperficie #surfacepattern #surfacedesign #modapraia #beachwear #swimwear #stampario #wagnercampelo #mamedioswim #arrivingsoon #newcollection #debut #hotpants #elegantlysexy #followthesun #mamediomermaid #sexy #luxury #elegant #fashion #exclusiveprint #unique #limitededition

Digite seu e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas postagens.
Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 620 outros seguidores

Meus Tweets

Arquivos

Calendário

agosto 2013
S T Q Q S S D
« jul   set »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Estatísticas

  • 756,266 visitas

%d blogueiros gostam disto: